terça-feira, junho 11
Shadow

Comerciantes de Gurupi questionam alterações no projeto de duplicação de trecho da BR-153

Projeto inicial previa a construção de duas rotatórias na saída norte da cdade e com as mudanças, haverá um trevo em formato T que não agradou quem usa a via diariamente.

As alterações em trecho da BR-153 no sul do estado, administrado pela concessionária Ecovias, está deixando comerciantes insatisfeitos. Com pelo menos cinco mudanças no projeto de duplicação da via que passa por Gurupi, quem trabalha às margens da via querem mais acessibilidade para o trânsito e movimentação na cidade.

As obras começaram há oito meses e, atualmente, já tem 40% da duplicação da rodovia concluída. A partir desta quinta-feira (6), os motoristas devem ter atenção, pois há mudanças no trânsito. As alterações serão no sentido norte da rodovia, na via marginal, km 674.

A alteração mais recente no projeto teria sido feita pela própria concessionária responsável pela obra. O modelo inicial com duas rotatórias no quilometro 671, na saída norte de Gurupi, mudou. Pelo novo traçado, a rótula do lado esquerdo não será mais construída. No local, um trevo em formato de T deve substituir as vias circulares.

Em nota, a Ecovias informou que os projetos em execução aprovados pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) seguem os requisitos previstos no Contrato de Concessão e normativos do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), e buscam a minimização dos efeitos para a sociedade. Sobre a remodelação das rotatórias pra formato T, a concessionária não se pronunciou.

O presidente da Agência Gurupiense de Regulação e Fiscalização, sargento Jenilson Cerqueira explicou que o município não é a favor da remodelação.

“Não somos favoráveis a esse tipo de situação, até porque afeta nossa mobilidade urbana e pode comprometer também o desenvolvimento econômico dessa região que sempre esteve margeada à BR-153. Nossas indagações junto à concessionária Ecovias e à ANTT é justamente sobre essa possibilidade que foi ventilada pelos empresários e não oficialmente pela concessionária, e nós estamos cobrando isso”, disse.

A Associação Comercial e Industrial de Gurupi (ACIG) convocou uma reunião com a concessionária e a ANTT para discutir a retirada das rotárias do projeto, mas nenhum representante apareceu.

“Os empresários querem que mantenha o projeto original da ANTT, que foi apresentado, e da Ecovias, que é a empresa que ganhou a licitação”, disse Abelino da Silva, diretor ACIG.

Segundo um estudo técnico feito pelo engenheiro de rodovias José Rubens Mazzaro e apresentado aos comerciantes e moradores, a mudança pode ser ruim para comércio nas proximidades e para o trânsito. “O projeto deles, a meu ver e eu provo para eles, é um absurdo. Tem que ser corrigido. Vai prejudicar e muito. Vai fechar muito comércio”, explicou.

Um ofício com 18 páginas sobre a nova revindicação dos comerciantes foi enviado pelo engenheiro a empresa responsável pelas obras.

População reclama

A travessia na rodovia para os pedestres também devem ser afetadas quando as obras chegarem ao trecho urbano. Os trabalhadores que atuam às margens da BR temem as dificuldades que poderão ter.

“Vai ficar atrapalhado, que não vai ter muita possibilidade de passar, tem que ficar atravessando correndo”, disse o mecânico Wallison Mário Rodrigues.

A extinção do trevo central da BR no perímetro urbano de Gurupi vai dar lugar a dois modelos de passarelas, uma por cima e outro em um nível inferior à rodovia.

Nesta primeira etapa serão mais de 11 quilômetros de rodovia duplicada na cidade, com a implantação ainda de três retornos e dois viadutos nas entradas norte e sul de Gurupi. A previsão da concessionária é que a obra seja finalizada ainda este ano.

Veja nota da Ecovias na íntegra:

Com relação aos questionamentos apresentados, a Ecovias do Araguaia, concessionária do Grupo EcoRodovias informa:

Os projetos em execução nas obras de ampliação, aprovados pela ANTT, seguem os requisitos previstos no Contrato de Concessão e normativos do DNIT, buscando sempre a minimização dos efeitos para a sociedade.

A fim de atender a essa demanda e garantindo a segurança dos pedestres e usuários da rodovia, haverá a implantação de uma passarela a aproximadamente 380 metros do cruzamento da Rua 20, no km 672+200, além da implantação de outra passagem em desnível no km 671+400, onde será assegurada a passagem de veículos e pedestres sob a rodovia, garantindo a fluidez do transito e segurança dos usuários e pedestres. Em complemento, a passagem em desnível, já existente no km 673+300, que atende à passagem de veículos, será melhorada com a implantação de calçadas para a locomoção dos pedestres de transposição da rodovia em segurança.

*Por G1

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *