terça-feira, junho 11
Shadow

Espetáculo teatral pretende levar ao público reflexões sobre a condição humana

Com classificação indicativa para maiores de 18 anos, o projeto “Foi a ausência que transformou os macacos em humanos” terá sua estreia no Sesc Palmas.

Selecionado no edital Artes Tocantins 2023, na categoria Linguagens Artísticas – Teatro, o projeto “Foi a ausência que transformou os macacos em humanos” é um espetáculo teatral que busca trazer à tona reflexões profundas sobre a condição humana. A iniciativa tem estreia marcada para o dia 5 de julho, às 20h, no Sesc Palmas, com entrada gratuita, prevendo ainda apresentações na Universidade Federal do Tocantins (UFT), nos campus de Palmas, Porto Nacional e Miracema.

Com apoio do Governo do Tocantins, por intermédio da Secretaria da Cultura (Secult), com recursos oriundos da Lei Paulo Gustavo, o espetáculo foi contemplado com um recurso de R$ 35.000,00.

De acordo com o proponente contemplado, Marcial de Asevedo, a ideia iniciou-se de maneira despretensiosa, com encontros de amigos e professores da UFT aos finais de semana, em agosto de 2023. Unidos pelo interesse estético comum, o grupo decidiu montar uma peça baseada nos poemas do poeta curitibano Paulo Leminski. A apresentação tem classificação indicativa para maiores de 18 anos e é destinada a pessoas que já possuem algum conhecimento de teatro e que apreciam reflexões filosóficas e psicológicas profundas. A obra, com uma estética crua e foco intenso na interpretação dos atores, propõe uma análise da trajetória da humanidade, suas angústias e esperanças, contrapondo o desejo de um mundo melhor.

“É um trabalho mais reflexivo, quase não tem efeitos de luz, quase não tem cenário. É focado muito na interpretação intensa dos atores, tem muitos silêncios, os textos do Paulo Leminski, que são muito pontuais e são textos fortes, então eu acredito que o público-alvo é um público que já está habituado a reflexões mais aprofundadas sobre a nossa trajetória enquanto raça humana” disse Marcial.

Como contrapartida social, o projeto oferece duas oficinas voltadas para alunos do Ensino Médio, com apresentações de poemas de Paulo Leminski e músicas de Caetano Veloso. Uma das oficinas já foi realizada na Escola Estadual Profª Elizângela Glória Cardoso e a outra está em processo de agendamento. Além disso, a proposta inclui uma oficina para a equipe do Centro de Atenção Psicossocial (Caps), focada em memórias pessoais e sua transformação em cena, com a apresentação de um trecho do espetáculo.

Ainda segundo o proponente e diretor do espetáculo, a expectativa é de que o projeto contribua para a ampliação do espaço para o teatro contemporâneo na capital, com a promoção de uma estética diferenciada e discussões aprofundadas sobre a cultura brasileira. “Minha expectativa é que Palmas possa ter mais espaço para o teatro contemporâneo, que busca uma linguagem mais diferenciada e que possa contribuir para quem gosta de arte e cultura. Desejo que possamos abrir discussões estéticas, filosóficas e existenciais, além de conhecer um pouco mais a cultura brasileira”, disse.

Conheça o proponente

Natural de Uberaba (MG), Marcial de Asevedo reside no Tocantins há 11 anos. Ele é ator, diretor e dramaturgo, formado em Teatro pela Unicamp e mestre em Teatro Contemporâneo pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU). Seu trabalho, enraizado no teatro pós-dramático, destaca-se pela expressão corporal e pela utilização de imagens e efeitos sensoriais que vão além da narrativa tradicional. Atualmente é professor do curso de Licenciatura em Teatro da UFT e explora a integração do inconsciente do público e dos atores, utilizando elementos orgânicos como água, fogo e folhas, além de mitologias e contos de fadas relidos para o público adulto. Suas produções incentivam a plateia a participar ativamente, contribuindo com sua imaginação e sensibilidade. Marcelo já apresentou seus espetáculos em diversos estados brasileiros, como São Paulo, Minas Gerais, Pará, Amazonas, Ceará e Tocantins.

Ficha técnica

Direção e dramaturgia: Marcial de Asevedo

Atuação: Marcial de Asevedo, Raiane Oliveira, Tiago Wender, Thiago Omena e Venícios Linden

Intérprete de Libras: Venícios Linden

Produção: Raiane Oliveira e Thiago Omena

Operador de som: Renato TohNuki

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *